Dia dos Namorados – Amor verdadeiro ou paixão passageira?

Olá gente linda, tudo bem? Hoje, no dia dos namorados, venho trazer para vocês a visão de um psicólogo especialista em relacionamentos, Alexandre Bez, vale a pena ler o texto e refletir um pouco.

O mês dos namorados é considerado uma das épocas mais esperadas do ano. É no comércio que fica mais evidente a importância da data, com o aumento nas vendas das lojas e restaurantes com reservas esgotadas. Tudo isso em busca do dia perfeito. Porém o fundamental é não esquecer o principal e deixar de lado o real sentido dessa comemoração: troca de amor, carinho, desejo e atenção. Para o psicólogo especializado em relacionamentos Alexandre Bez, não importa se é amor verdadeiro ou paixão passageira, o que vale mesmo são os preparativos, que demonstram cuidado, sentimentos, emoções e dedicação ao parceiro, pois para quem gosta de comemorar a data, o que realmente conta é estar junto. 

Toda essa mudança no quadro da sociedade está ligada ao desejo das pessoas em realizar os mimos para seu parceiro, a qual a data sugere. Para acertar com seu namorado(a), Bez lista algumas dicas para esse mês romântico que podem garantir pontos positivos na relação: 
– Fazer algo especial, nem sempre é fazer algo caro. Se você não pode gastar muito, seja criativo. 
– A melhor dica é executar a sua comemoração de acordo com as suas condições psicoemocionais, financeiras, físicas etc., não importando como ela será. 
– Faça reservas, planeje com antecedência. Mas, se ainda assim não conseguir programar nada, não deixe passar em branco, improvise! 
– Leve seu amado(a) ao parque e faça um piquenique. Ficar em casa e preparar um jantar romântico, também pode ser especial. 
– Como a data remete à felicidade, no dia da comemoração, deixe assuntos desagradáveis de lado, como erros do passado, fatura de cartão, estresses diários. 
– Assistir um filme à dois com um bom vinho, fondue e muitas carícias, fará você se dar bem. 
No entanto, Alexandre indaga: até onde todos estes comportamentos podem ser reais? Pela demanda de presentes comprados deveria haver um verdadeiro sentido em tudo isso, porém algumas pessoas aproveitam o embalo da data para não se sentirem só. Existem também casais que vivem uma relação desgastada e ainda estão juntos por acomodação: “é preciso avaliar a relação, ou as frustrações serão maiores que os momentos de alegria. Mesmo que resolvam comemorar o mês dos namorados, faltará sentimento e emoção, o que pode abalar ainda mais a convivência do casal”, alerta o psicólogo. 
O especialista ainda deixa o conselho: “namoro não é brincadeira e a essência principal deste momento é o de ficar junto com a pessoa amada. O toque e o aconchego são suficientes para demonstrar carinho, basta querer e improvisar”.
Gostaram?

Comente com Facebook

Mais:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.